Vigilância Sanitária chipa 300 animais em feira pet de Ipanema e repete ação no próximo domingo

A Vigilância Sanitária chipou 300 animais na feira pet de Ipanema- Nelson Duarte/Prefeitura do Rio

A Subsecretaria de Vigilância Sanitária e Controle de Zoonoses microchipou 300 cães e gatos neste domingo, dia 1 de dezembro, na Rio Parada Pet, que agitou a Praça Nossa Senhora da Paz, em Ipanema, com ioga, feirinha de adoção e uma série de outras novidades para o mundo animal. Cerca de 20 técnicos do órgão participaram da ação. Todos os animais foram chipados e fotografados para serem cadastrados no Registro Geral de Animais (RGA), programa inédito implantado pela Prefeitura do Rio. Muitos saíram da praça com a carteira de identificação impressa com a foto. Outros preferiram receber o documento por e-mail.

 

O serviço foi tão bem recebido pela população que será levado de novo à Zona Sul, no próximo domingo, dia 8, a partir das 8h, no Posto 5, em Copacabana, durante a grande ação que marcará o início de mais uma edição da operação Vigilância nas Praias.

 

“Estaremos na orla com mais 200 senhas no evento em que vamos também fazer uma série de ações educativas, com orientações à população sobre o que precisa observar na hora do consumo e informes até sobre aspectos higiênico-sanitários” – adianta a subsecretária de Vigilância Sanitária, Márcia Rolim.

 

Um dos elogios comuns entre as 200 pessoas que conseguiram microchipar seus animais na feira foi o baixo custo do chip.

 

– Assim como a castração, que é essencial para prevenir doenças e minimizar o número de animais abandonados, a chipagem é uma ação muito importante não só de saúde. Ela ajuda nos casos de perdas, facilita para quem quer viajar com os seus bichos e incentiva a posse responsável. E poder ter um serviço dessa importância por apenas R$ 25 foi mesmo tudo de bom. Em uma clínica particular a gente gastaria quase R$ 2 mil – comemorou a tradutora Bruna Peixoto, que com uma única senha conseguiu chipar seus cinco animais.

 

No próximo domingo, o serviço de microchipagem será feito no Posto 5, em Copacabana – Nelson Duarte/Prefeitura do Rio

 

Bruna teve o reforço de Luiza Annarumma. Elas residem em Botafogo com os gatos Eduardo e Arya e os cães Bruno, Melissa e Mariana.

 

– Todos eles já são castrados, e agora também chipados, o que é uma tranquilidade em termos de saúde e proteção – comentou Luiza, com a sensação da mãe que teve a missão cumprida.

 

Quem também destacou a qualidade do novo serviço oferecido pela Prefeitura foi a publicitária Camila Cervo, que chegou bem cedo (antes das 8h) e conseguiu a senha número 10.

 

– É muito bom podermos contar com esse serviço feito por profissionais e a preço bem em conta. Há sete anos chipei meu outro cão em uma clínica particular e paguei R$ 500 – comparou Camila, que em breve espera seguir para uma temporada de estudo nos Estados Unidos e levar o seu cãozinho já chipado pela Vigilância.

 

Ao todo, foram distribuídas na feira 200 senhas, muitas delas para a chipagem de mais de um animal, como o caso de Bruna e Luiza.

 

– A exigência é que todos os animais chipados com a mesma senha tenham o mesmo tutor, com um único CPF – explica o médico-veterinário Glauco Melo, diretor do Instituto Municipal de Medicina Veterinária Jorge Vaitsman (IJV), em São Cristóvão, na Zona Norte.

Microchipagem pode ser feita durante a semana

 

Para quem não conseguiu ter o animal chipado neste domingo, Glauco lembra que o serviço é oferecido de segunda à sexta-feira das 8h às 16h, tanto no IJV como no Centro de Controle de Zoonoses Paulo Dacorso Filho (CCZ), em Santa Cruz, Zona Oeste da cidade.

 

– Basta chegar e solicitar a microchipagem e nossos técnicos fazem o cadastro, gerando o boleto no mesmo valor (R$ 25), fotografando o animal e enviando a carteirinha para o e-mail fornecido pelo dono. E para quem for também castrar, todo o procedimento é feito sem custos, um incentivo a esta importante política pública de saúde. Só depende de marcação presencial, feita em uma dessas unidades a partir do quinto dia, quando a agenda é aberta – orienta Glauco.

 

A subsecretária Márcia Rolim aproveitou a ação deste domingo para reforçar alguns dos muitos benefícios do microchip.

 

– A chipagem não dói, é rápida e segura, e é o passaporte para o cadastro no RGA, trazendo muitos benefícios. Um exemplo é se o animal fugir, se perder ou mesmo for roubado. O dono pode buscar ajuda em uma de nossas unidades ou em uma das 200 clínicas já credenciadas pela Vigilância para terem acesso ao RGA. O microchip facilita também a vida de quem quer levar o animal para fora do país e nos dá informações fundamentais para desenvolvermos as políticas públicas de prevenção aos riscos à saúde – ressaltou Márcia Rolim.

 

Números pet – No Brasil, 44,3% dos 65 milhões de domicílios têm, pelo menos, um cachorro e 17,7% ao menos um gato, de acordo com dados de 2018 do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE), que contabilizam 139,3 milhões de animais de estimação em todo o país. A previsão é que, em cinco anos, a população pet ultrapasse os 163,6 milhões no país, um acréscimo de 17%.